Conheça os profissionais que atuam em uma Gestora de Recursos

Muita gente que deseja trabalhar no mercado financeiro com certeza já ouviu o nome Gestora de Recursos.

Eu mesmo, inclusive, no início da minha carreira nesse mercado, sonhei um dia me tornar gestor de um grande fundo. A rotina de estudos sobre economia externa e interna, análises, a possibilidade de bônus altos, entre outros fatores, eram coisas que me motivavam.

Porém, como você já sabe, resolvi seguir por outro caminho. Aquele que descobri fazer mais sentido na minha vida e que hoje carrego como propósito. A educação.

Agora, vamos entender o que faz um dos principais modelos de negócios do mercado financeiro…

Gestora de Recursos

Mas o que são Gestoras de Recursos?

Também conhecidas como Assets, as Gestoras de Recursos são empresas privadas criadas especificamente para gerir recursos de terceiros, podendo estes serem pessoas físicas ou jurídicas.

É através delas que são geridos os fundos de investimentos disponíveis na plataforma das corretoras de títulos e valores mobiliários para os clientes investirem seu próprio dinheiro.

A gestão compreende o processo desde a alocação de recursos e a tomada de decisão até a execução. Podem haver eventuais ajustes das posições com o intuito de preservar e rentabilizar o capital dos seus clientes.

Dada sua especialização nessa função, as gestoras são uma alternativa aos bancos comerciais. Elas visam maximizar a relação entre risco e retorno dos seus clientes através de uma busca imparcial por oportunidades mais rentáveis e necessariamente alinhadas ao perfil de risco do investidor.

Assim como as corretoras, as gestoras também são supervisionadas pela CVM.

A geração de receita desse modelo de negócios é basicamente dividida em duas taxas diferentes: a taxa de administração e a taxa de performance.

Taxa de Administração

Essa é uma taxa cobrada pelos fundos que objetiva remunerar os prestadores de serviço. É calculada diariamente por um percentual anual do patrimônio líquido do cliente sendo previamente estabelecida.

Taxa de Performance

A taxa de performance é uma taxa que pode não existir para alguns fundos. É cobrada quando a rentabilidade do fundo supera um benchmark baseado em algo que chamamos de marca d’água. Ou seja, se a rentabilidade superar a última alta dentro de um determinado período, é descontada a taxa de performance a fim de remunerar o bom desempenho da equipe do fundo.

Acaba sendo uma relação de ganha-ganha, uma vez que os colaboradores da gestora terão mais bônus quando você também estiver ganhando mais.

Profissionais

Gestor de Recursos

Como o próprio nome já diz, atuam na área de gestão de recursos. Responsáveis pela tomada de decisão, são esses os profissionais que gerem os fundos de investimentos.

Podem gerir um fundo aberto para vários cotistas ou fundos exclusivos para determinados clientes ou grupo. Ou seja, o gestor de recursos não cuida dos clientes em si, mas sim, de um fundo no qual os clientes da Asset decidiram investir.

A grande tarefa é analisar o mercado, as melhores oportunidades nos ativos financeiros, o cenário político, econômico e decidir onde investir.

O objetivo é claro: gerar o máximo de retorno possível.

Na maioria das vezes, o gestor de recursos é especializado em um tipo de investimento específico. Por isso, existem gestores de produtos de renda fixa, de fundos multimercados, de ações, de moedas, entre muitos outros.

É dessa forma que a indústria de fundos consegue se dividir em diversas categorias e tipos de investimentos.

O gestor de recursos normalmente é um especialista. Portanto, verificar a sua experiência profissional e track record é fundamental para quem está procurando um fundo para investir.

Analista

O analista de uma Gestora de Recursos é responsável por fazer análises econômicas. Ele fornece informações sobre as tendências econômicas e avalia o potencial de investimento.

Assim, busca prever o comportamento futuro dos indicadores econômicos. 

É papel do analista projetar indicadores como juros, inflação, nível do Ibovespa, PIB, entre outros, além de analisar empresas com o objetivo de propor recomendações bem estruturadas. 

Com isso, auxiliam o gestor na tomada de decisão sobre determinada compra ou venda de papéis dentro da carteira do fundo de investimentos.

Administrativo

Atuante na área do BackOffice de uma Asset, ajuda nas atividades internas referentes às operações do fundo de investimentos.

O gestor escolhe as ações, o analista ajuda nas escolhas a partir de análises fundamentadas, mas por trás disso existe toda uma parte operacional que é necessária para o fundo de investimentos existir.

Por exemplo: o gestor acredita ter comprado um lote de 1000 ações da Petrobras, passando a ordem de compra para a corretora. O profissional do BackOffice é o responsável por conferir se na conta do fundo realmente tem 1000 ações da Petrobras.

No final do dia, cabe a ele conferir as operações que o fundo acha que fez com as corretoras. Ou seja, verificar se está tudo certo e se as ações estão realmente custodiadas.

Essa função é popularmente conhecida como “batimento de cotas”.

Além disso, ele também realiza algumas rotinas operacionais como a abertura de conta em corretora e a emissão de relatórios.

Relação com Investidores

Esse é o cargo ligado à área comercial da Gestora. O profissional de relação com investidores capta recursos para o fundo procurando clientes que buscam os investimentos que a gestora oferece.

É ele que vai se preocupar com a divulgação dos fundos, preparando o material necessário, além de também realizar o trabalho de pós-venda.

Basicamente, é uma atividade de prospecção que objetiva trazer o máximo de investidores possível para o fundo oferecido.

Em caso do fundo fechar a captação, o profissional dessa área ficará encarregado de sanar possíveis dúvidas e manter contato com os clientes.

Analista de Risco

O analista de risco tem como função principal mostrar ao gestor todos os riscos no qual o fundo está correndo.

Isto pode ser tanto de forma expositiva, apresentando a exposição em cada setor e em cada tipo de ativo, assim como também a partir de métricas de risco.

Essas métricas envolvem um pouco de matemática e servem para quantificar em números o quanto de risco o fundo está exposto.

É uma atividade que envolve muita criação de relatórios.

Além disso, é fundamental para ajudar o fundo a evitar perdas drásticas.

Trabalhando em uma Asset

Os processos seletivos para uma Gestora de Recursos, assim como muitos outros no mercado financeiro, costumam ser muito concorridos.

Graças ao modelo enxuto de atuação, as vagas oferecidas são sempre em pequena quantidade.

O caminho tradicional para iniciar nesse ramo é começar como estagiário no BackOffice. Dessa forma, você conseguirá estar por dentro do dia a dia e poderá trilhar uma carreira nesse modelo de negócios.

Mas não pense que será fácil.

Saber excel e inglês é fundamental. Já o conhecimento de uma linguagem de programação é um extremo diferencial.

Outro ponto, talvez um dos mais importantes, é saber conteúdos ligados à gestão de recursos. Produtos financeiros, renda fixa, fundos de investimentos, valuation e análise gráfica são alguns deles.

Procure bons cursos que ofereçam esse tipo de conteúdo tanto na teoria quanto na prática.

Assim, seu caminho até a porta de entrada de uma Asset certamente será menos doloroso.

Fontes:

  • Experiência alocando centenas de profissionais no Mercado Financeiro.
  • +100.000 horas observando as movimentações do Mercado.
  • Insights dos Sócios e Diretores das maiores casas de finanças do mundo.