3 coisas que um Microempreendedor NUNCA deve fazer

Se engana quem acha que para empreender basta ter uma ideia e já começar a buscar investidor para acreditar nela. Tem um longo caminho a ser percorrido. E essa jornada abraça tanto quem já tem anos de mercado, como quem tá começando. O empreendedorismo vem se tornando uma das grandes portas para quem quer ter um negócio. E não é à toa que o termo “microempreendedor” vem se tornando cada vez mais comum.

Nesse meio existem sim facilidades que permitem que a sua ideia, o seu projeto ou o seu sonho se tornem um negócio em expansão. Mas também tem muita coisa que pode fazer que todo esse ímpeto acabe indo por água abaixo. 

Pensando nisso, eu separei os três erros mais comuns que se pode cometer como microempreendedor e que podem acabar com a sua carreira antes mesmo dela começar.

Se você quer se salvar da estatística, cola aqui.

Os 3 maiores erros que todo microempreendedor não deveria cometer

1 – Desconhecer o seu controle financeiro

Se você é daquele tipo de pessoa que vai fazendo tudo sem planejamento, é melhor dar uma pausa. Você pode estar cavando um buraco fundo como microempreendedor. E já te adianto: pode ser difícil sair depois. Se você não sabe sobre os seus custos e não tem conhecimento do quanto você fatura, do quanto você lucra, bom… Certamente a sua tomada de decisão ficará bastante restrita como empreendedor.

Sem esse tipo de informação é difícil presumir quando e o quanto você pode expandir o seu negócio. Se você consegue investir mais e melhor. Ou se simplesmente ele está sendo rentável economicamente. Logo, dessa maneira fica complicado de saber o que realmente acontece com o seu empreendimento. E a sensação é que você está trabalhando no escuro.

Por isso, anote aí: tenha bem esclarecido para onde está indo o seu dinheiro e como ele é trabalhado. Não deixe que isso acabe se tornando uma trava para mais tarde. E evite lidar com seu dinheiro apenas no improviso.

2 – Não planejar seu crescimento

Pode parecer besteira. Porém, o que eu mais vejo por aí é microempreendedor com medo de crescer. Isso tudo por causa de uma conta que não fecha. E eu explico agora o porquê de eu estar falando isso.

Por exemplo, o microempreendedor que decide se cadastrar pelo MEI para conseguir isenção de imposto de renda pelo faturamento anual de até 60 mil reais trava quando pensa em expandir. A maioria sabe que o governo permite a isenção do IR apenas até o valor máximo. Passando desse valor, a contribuição tributária passa para mais de 300%. Então, qual parece a solução mais viável? Manter os lucros nesse limite e não esquentar a cabeça mais tarde, certo? ERRADO!

O microempreendedor que começa com a ideia de fugir da contribuição tributária já está dando o passo-chave para estagnar o seu negócio. Pessoal, para crescer é necessário investir e investir também é imposto. Simples assim.

Para crescer como empreendedor você vai precisar alinhar seus custos e faturamento líquido de forma que uma porrada em forma de imposto não te tire da jogada. E nem te desanime no meio do caminho.

3 – Ter medo de fracassar

Você é um microempreendedor? Perfeito. Se lembre de uma coisa APENAS nesse momento: você só está no começo da estrada. Não importa quantos anos você já trabalhou de carteira assinada ou se você faz foi gerente de alguém. Experiência conta e muito, mas não é tudo. O status de microempreendedor nos lembra que ainda há muito o que expandir e aprender. E é essencial se lembrar disso.

Se você não quer errar, isso por si só já é um erro e dos GRANDES. O erro é fundamental, afinal, sem ele você não vai ter o que aprender. E sem aprendizado você não cresce.

O erro para o empreendedor não é algo para se lamentar. É para tomar como dado e logo após virar análise do que se pode fazer daí por diante. Ah, e claro! É suor, porque mais tarde isso se torna a medalha e lembrança do que você já passou para chegar aonde você quer estar.

 

 

Sobre o Autor

Felipe Gentil

Economista, formado pela PUC-RJ e tem MBA em gestão empresarial pela FGV. É fundador e CEO da Proseek
Publicado em 02/07/2019

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As pessoas também estão lendo...

Eles são um dos tipos de investimentos mais ofertados no Brasil, por serem uma opção com menor risco de crédito e ideal para investidores com perfis conservadores e moderados. Mas se você quer trabalhar com assessoria de investimentos, precisa ir a fundo e conhecer esses ativos de forma completa.   Como o nome já diz,…
Um dos tipos de ativos mais ofertados no setor de Assessoria de Investimentos são os Fundos de Investimentos.   Em uma rápida definição podemos dizer que um Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos sob forma de condomínio, em que os cotistas possuem os mesmos interesses e objetivos ao investir no mercado financeiro e…
O mercado competitivo e recuperação da economia em 2021 prometem trazer um número maior de oportunidades e grandes chances para os profissionais que desejam atuar no ramo de assessoria de investimentos. O cenário econômico brasileiro mudou. Se antes os investidores conseguiam bons rendimentos com aplicações conservadoras, atualmente com a Selic em 2% e a poupança afundando…

E-book | Erros do Empreendedor

Criar um negócio do zero é doloroso, de verdade. Ninguém quer te ajudar e nada ao seu redor vai facilitar o seu caminho. Mas sabe quanto tempo você tem pra ficar reclamando disso? ZERO. É assim que funciona: ou você aposta, ou você morre. Então esquece de uma vez por todas as probabilidades. Vai lá e constrói a oportunidade que você precisa com os farrapos que encontrar à sua volta.

BAIXE AQUI

E-book | Financial Advisor – O Guia Definitivo

Se você sonha em ter uma carreira de sucesso no ramo de Advisory e não sabe por onde começar, esse e-book certamente é para você. Aqui você poderá conferir tudo sobre o dia a dia e o perfil de pessoas que se destacam nesse mercado.

BAIXE AQUI